Sistema de leitura óptica usado em operações na capital serve de modelo para todo país

Os kits usados desde 2012 conseguem identificar qual irregularidade a partir da leitura da placa dos veículos

5a484c769170b0538d3b0443b73b5170_L

Na tarde desta quarta-feira (20), a Secretaria de Segurança Pública de Alagoas (SSP/AL) recebeu integrantes do Batalhão de Trânsito da Paraíba (BPTRAN/PB), interessados em conhecer o sistema de leitura óptica de caracteres (OCR) utilizado pelo BPTRAN em Alagoas

As ferramentas implantadas com pioneirismo resultaram na agilidade e eficácia das operações e fiscalizações de trânsito, tornando o estado modelo na utilização do sistema de leitura óptica.

Os kits móveis de câmera com OCR chegaram a SSP/AL em 2012. Desde então são utilizados nas Operações Lei Seca reduzindo o número de acidentes e trazendo maior segurança aos policiais e motoristas.

Segundo o Chefe de Operações do videomonitoramento da SSP, cabo Niel, o sistema funciona em conjunto com o banco de dados do DETRAN/AL, de maneira bem simples. As câmeras conseguem identificar a cerca de 700 metros a placa do veículo, que é lançada num notebook onde aparece toda situação do carro como emplacamento, IPVA e até mesmo se há alguma queixa de roubo ou furto.

Sendo constatada a irregularidade, a informação é repassada para outra equipe do BPTRAN posicionada estrategicamente 500 metros após o sistema onde será realizada a devida abordagem.

“Antes, as blitz aconteciam por amostragem – abordagem feita a partir da ação suspeita. Com a chegada do kit ganhamos a vantagem sobre o suspeito irregular que será abordado. Não é à toa que estamos recebendo a visita do BPTRAN da Paraíba. Maceió é pioneira na utilização do sistema que mostra resultados diariamente. Hoje eles (BPTRAN/PB) estão conhecendo o funcionamento prático que posteriormente será executado durante a operação, notificando o motorista com a ajuda do sistema”, destacou o cabo Niel.

A decisão de vir ao estado alagoano veio após a conclusão do processo licitatório na Paraíba para aquisição das câmeras que integram o Sistema OCR. A intenção do coronel do BPTRAN/PB Almeida Lins é unir o modelo de operações integradas da SSP/AL à demanda paraibana. “Montamos uma equipe e faltava apenas o entendimento da funcionalidade do Sistema OCR para colocarmos em prática. Viemos ver de perto os positivos resultados e levar para nosso estado o modelo alagoano”, afirmou o coronel Martins.

O coronel do BPTRAN/PB Almeida Lins ainda acredita que a inserção do sistema nas operações trará ao usuário do sistema nacional de trânsito a sensação de valorização, “Não vamos incomodar aqueles que andam corretamente e ainda teremos a segurança e respaldo jurídico para realizar a abordagem, estamos usando a tecnologia ao nosso favor”, conclui o coronel Martins.

Eva Pimentel – Agência Alagoas

21/07/16