200 alunos participam de palestra sobre bullying e violência na escola

Cerca de 200 alunos do 6° ao 9° ano do ensino fundamental da Escola Municipal Padre Pinho receberam a visita do juiz Eric Baracho, na segunda-feira (18), que ministrou uma palestra sobre a prevenção e o combate ao bullying. Durante a atividade, promovida pelo Programa Cidadania e Justiça na Escola (PCJE), os estudantes tiveram a oportunidade de tirar dúvidas, contar suas experiências e compartilhar com os coordenadores do colégio os problemas que acontecem na instituição quando o assunto é violência.

    “Muitas pessoas sofrem caladas, mas quando acontecem eventos como esse na escola elas se sentem confortáveis para conversar e compartilhar que estão tendo dificuldades”, contou a jovem Stephanie Soares de Lima, de 16 anos, que cursa o 8° ano do ensino fundamental. Ela confessou que já foi vítima de bullying e presencia, diariamente, colegas de classe passando por situações hostis. “Tem gente que até deixa de vir para a escola porque sabe que vai passar por isso”, finalizou.

    Participando pela primeira vez como palestrante voluntário no projeto, o magistrado Eric Baracho comentou sobre a necessidade de desenvolver trabalhos preventivos como este e promover a aproximação entre o Poder Judiciário e a sociedade para debater sobre temas que merecem a atenção de todos. “A figura do juiz aparece quando todas as outras formas de solucionar o problema já falharam. É uma honra ter a oportunidade de conversar com os alunos e lidar com essa questão de forma preventiva, umas das formas mais eficazes para obter resultados”, afirmou.

    Claudete Fidelis, diretora da Escola Padre Pinho, contou que as palestras organizadas pelo PCJE, eixo de atividades de Escola Superior da Magistratura (Esmal), são sempre muito produtivas. “Conversar sobre isso diretamente com os alunos, as pessoas que são afetadas diretamente, é um caminho muito interessante. Acredito que, ao longo do tempo, vamos colher bom frutos”, disse.

    “Passamos o dia inteiro resolvendo problemas relacionados ao bullying. Recebemos reclamações dos pais, sobre situações de violência, e dos professores que passam por diversas situações na sala de aula”, revelou a diretora.

    A violência no ambiente escolar, seja física ou verbal, é uma realidade preocupante. De acordo com a servidora do PCJE, o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) será notificado sobre a situação para que seja feito um acompanhamento com os adolescentes. “As denúncias e declarações que foram feitas hoje pelos alunos são graves. Muitos casos que foram relatados aqui não são de conhecimento da escola e, por isso, vamos indicar que seja realizado um trabalho de apoio”, informou.

Ascom – 19/09/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *